quinta-feira, 24 de maio 12:18
assine
Postado:     09:24

Incêndio em empresa de São Lourenço do Oeste mobiliza bombeiros de toda a região nesta quarta-feira

Share

Um incêndio de grandes proporções foi registrado na madrugada desta quarta-feira (16), na Rua Mário Pagliosa, na Área Industrial, em uma empresa de embalagens e papel, no Acesso Sul de São Lourenço do Oeste.

A guarnição do Corpo de Bombeiros de São Lourenço do Oeste foi acionada para atender à ocorrência por volta das 3h. “De imediato notamos que devido às chamas, já fazia algum tempo que o sinistro havia iniciado. Nosso primeiro trabalho foi conter para que o incêndio não se alastrasse para edificações vizinhas, escritório e outra parte da empresa que ainda não havia sido atingida, inclusive a caldeira”, explicou o Sargento do Corpo de Bombeiros Militar de São Lourenço do Oeste, Sargento Neodir, que comanda a operação.

Inicialmente os trabalhos iniciaram com quatro bombeiros militares de São Lourenço do Oeste, mas, devido às grandes proporções do ocorrido, foi necessário acionar mais efetivo. Foram dez bombeiros militares, quase a totalidade do efetivo lourenciano, três bombeiros civis comunitários cedidos pela prefeitura municipal e mais cinco bombeiros comunitários. Além disso, guarnições de Campo Erê, com dois bombeiros, Quilombo, com quatro bombeiros, São Domingos com dois bombeiros e Xanxerê com um bombeiro auxiliaram na operação.

O Sargento ressalta que cada guarnição colaborou com uma viatura de combate a incêndio. Na manhã desta quarta-feira (16), os trabalhos ainda continuam. Segundo o militar, foi possível salvar apenas o escritório, algumas máquinas e a caldeira da empresa. “O que foi muito importante pos poderia haver uma explosão”.

A administração municipal também colabora com equipamentos e maquinário. Até o momento foram utilizados cerca de 110 mil litros de água no combate às chamas. Ainda não é possível afirmar as causas do sinistro, já que o combate ao incêndio é prioridade no momento. Um perito de Chapecó foi acionado, segundo o Sargento Neodir e deve apurar essa questão. “O que se pode afirmar é que cerca de 90% da edificação foi destruída”, finalizou.

 

Informações e Foto: O Noroeste

Área para Assinantes

Por favor, logue no site.